Federação das Colectividades do Distrito do Porto

 A Federação das Colectividades do Distrito do Porto é uma entidade sem fins lucrativos que integra coletividades de cariz diverso, predominando as de cultura, de desporto, populares, de recreio e de solidariedade social.
Tem como missão prestar apoio às coletividades suas associadas e intervir junto dos poderes públicos na defesa dos seus direitos e interesses.

Departamentos e Serviços
  1. Departamento da Cultura e Ambiente
    Promoção de atividades culturais de natureza diversa. Estímulo e apoio ao intercâmbio de recursos entre coletividades de cariz diverso.
  2. Departamento Jurídico
    Consulta jurídica gratuita, aconselhamento jurídico e patrocínio judiciário.
  3. Departamento do Desporto
    Promoção dos valores do desporto e da sã competição entre coletividades. Promoção e realização de eventos desportivos, incentivando não só a atividade física, mas sobretudo a integração social e participação ativa dos cidadãos.
  4. Departamento de Formação
    Promoção de ações de formação para Dirigentes Associativos focadas nas áreas de Direito, Administração e Finanças, Fiscalidade e Contabilidade, Informática e Comportamento.
  5. Departamento Administrativo
    Elaboração, reforma e alteração de estatutos e regulamentos das coletividades associadas, bem como acompanhamento e apoio nas formalidades legais conexas.
  6. Departamento Financeiro
    Gestão financeira da Federação e apoio às coletividades associadas. Prestação de apoio em contabilidade e fiscalidade, incluindo envio de declarações periódicas de IVA, declarações anuais, declarações Modelo 22 e Informação Empresarial Simplificada (IES).
  7. Departamento de Ação Social
    Apoio às coletividades associadas no âmbito da ação social.
  8. Departamento das Tecnologias de Informação e Comunicação
    Prestação de apoio na Área das Novas Tecnologias e desenvolvimento de ferramentas informáticas para os Associados.
  9. Departamento de Relações Públicas e Coletividades
    Comunicação e relação com as colectividades associadas e outras entidades. Divulgação e comunicação de eventos.

A História da FCDP

  1. 1944
    1944
    A FCDP foi fundada no Porto a 7 de Julho de 1944 sob o nome de "Federação das Colectividades do Distrito do Porto de Educação, Recreio e Desporto". Contudo, já antes de 1944 havia sido iniciada atividade por parte de uma "Comissão Pró-Colectividades" que era constituída, entre outras, pelas 54 coletividades que oficializaram a criação da FCDP junto do Governo Civil do Porto nesse ano. O nome de cada uma das 54 coletividades fundadoras encontra-se referido na primeira versão dos estatutos da FCDP.
  2. Séc. XX
    Séc. XX
    Para perceber por que motivo nasceu a FCDP, temos de recuar no tempo, até ao início dos anos vinte do século XX, e lembrar como vivia o povo de então. O povo a que nos referimos são sobretudo operários e outros trabalhadores cujo horário de trabalho diário, seis dias por semana, era de 8 horas, sem contar com as horas suplementares que trabalhavam sem remuneração (ditas de serão), frequentemente até à meia-noite. Domingo era o dia de descanso, para ir à missa e limpar a casa, no caso das mulheres, e para ir ao futebol e beber um copo, no caso dos homens. Poucos locais havia onde as pessoas pudessem empregar o seu - pouco - tempo de lazer.
  3. Séc. XX
    Séc. XX
    Até que, impulsionados por coletividades então existentes, começaram a surgir grupos musicais, folclóricos, excursionistas, de teatro, entre muitos outros, aos quais a população, incluindo as camadas jovens, aderiu em massa. Américo Cardoso, grande impulsionador das coletividades de cultura, recreio e desporto do distrito do Porto, teve um papel muito importante a este nível, percorrendo e dando apoio nos bairros mais humildes não só da cidade mas também dos que se situavam nos arredores. A certa altura surgiu a necessidade de alguém ou alguma organização liderar o processo de defesa dos interesses destes grupos, clubes e associações junto das entidades oficiais. Tendo como líder Américo Cardoso, a Federação das Colectividades do Distrito do Porto de Educação, Recreio e Desporto passou a representar as coletividades existentes no distrito junto da presidência das Juntas de Freguesia, das Câmaras Municipais, do Governo Civil e do próprio Governo "da Nação". Um tipo de representatividade até aí inexistente.
  4. 1974
    1974
    Foi com muita luta que a FCDP defrontou tanto o poder local como com o poder central. Até 1974 a população portuguesa vivia sob um governo autoritário, perseguida pela Polícia de Intervenção e Defesa do Estado (PIDE) e vigiada pelos "bufos", civis recrutados pela PIDE para denunciar atividades suspeitas de carácter político que detetassem na vizinhança. No entanto, e apesar da pobreza e das dificuldades em que se vivia, sentia-se também uma enorme e autêntica solidariedade entre vizinhos. Era frequente ver camionetas estacionadas junto das coletividades, preparadas para levar aqueles que, durante o ano, iam amealhando "na caixa dos vinte amigos" os tostões necessários para o passeio anual. Nas cestas de vime levavam os farnéis, acompanhados pelo "catraio" de cinco litros com o vinho da sua região. Levavam consigo a genuína mensagem dos seus cantares, dançando e exibindo os trajes a preceito e empunhando a bandeira que os identificava.
  5. 1974
    1974
    Foi a FCDP que, em reunião com representantes das coletividades, decidiu elaborar um plano de ação que permitisse que estas mostrassem de forma organizada os seus talentos. Para isso promoveu diversos eventos e incentivou à participação das coletividades numa grande diversidade de manifestações artísticas e culturais, nomeadamente na Grande Parada das Festas da Cidade, nas rusgas sanjoaninas, em representações teatrais, arraiais, desfiles carnavalescos e exposições, onde as coletividades podiam divulgar as suas atividades. Promoveram em prol de direitos de cidadania, antes de 1974. De salientar a proibição do casamento das enfermeiras e das telefonistas, o problema das carquejeiras (mulheres que transportavam pesadíssimos fardos de carqueja - combustível para fornos). A Federação das Colectividades do Distrito do Porto esteve também envolvida desde o início na promoção e participação em conferências e ações de cidadania. Esteve na primeira linha de apoio e divulgação de campanhas que o Governo Civil do Porto e a Liga Portuguesa de Profilaxia, do pé descalço e das insalubres ilhas do Porto.
  6. Actualmente
    Actualmente
    Nos últimos anos a FCDP tem continuado o importante trabalho de apoio às coletividades do distrito, defendendo os seus direitos e interesses junto dos poderes públicos e disponibilizando diariamente um importante conjunto de serviços às suas associadas. Para além disso, a FCDP continua envolvida numa grande diversidade de eventos, quer promovidos pela própria Federação, quer organizados por coletividades suas associadas ou por outras instituições.
A Nossa Equipa
  1. Laurindo Pereira
    Laurindo Pereira
  2. Antonio Monteiro
    Antonio Monteiro
  3. Carlos Alves
    Carlos Alves
  4. Domingos Martins
    Domingos Martins
  5. Filipe Silva
    Filipe Silva
  6. Julio Ferreira
    Julio Ferreira
  7. Alcides Horta
    Alcides Horta
  8. Manuela de Sousa
    Manuela de Sousa
  9. João Iria
    João Iria
Contacte-nos
O seu nome:
A sua mensagem:
O seu contacto:
O seu E-Mail:
Submeter
Morada: Largo do Colégio, 1 4050-208 PORTO 

Horário de trabalho:
2ª a 6ª feira: 9h - 18h

Tlf./Fax: +351 22 205 58 99
Tlm.: +351 93 14 77 390 

E-Mail:
geral@fcdp.pt
Siga-nos: